Baseado no Sermão do Monte - Mateus 5 a 7

Quando refletimos sobre nossa relação com Deus, uma pergunta frequentemente invade nossa alma: Por que o cristão sofre? Ou então, Por que Deus permite o sofrimento de inocentes?

No Sermão da Montanha, nosso Senhor Jesus dá aos seus discípulos instruções claras a respeito dos valores do Seu Reino. O Mestre deixou-nos também várias respostas a respeito das razões do sofrimento.



I. Tipos de sofrimento

· Sua natureza: pode ser físico, emocional ou espiritual.

· Alguns sofrimentos não diferenciam o cristão do não-cristão: a maioria das doenças, desigualdades e injustiças em geral, sofrimentos causados por nós mesmos, a própria consciência acusando, opressão maligna, etc.

· Outros sofrimentos deveriam ser “privilégio” exclusivo dos não-cristãos, pois estão diretamente relacionados com a falta de Deus na vida da pessoa: vazio interior, falta de propósito na vida, sentimento de afastamento de Deus, escravidão do pecado e seus vícios, possessão demoníaca, etc.

· E há ainda os sofrimentos que são “privilégio” exclusivo dos cristãos, pois estão diretamente relacionados com a presença de Deus na vida da pessoa: perseguição por causa da nossa fé, incompreensão das outras pessoas, ausência dos prazeres do mundo, etc.

Vamos inicialmente nos deter nas causas do sofrimento (por que) e posteriormente nos propósitos do sofrimento (para que).



II. 5 causas do sofrimento

1º - Ação das outras pessoas: Bem-aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem e vos perseguirem e, mentindo, disserem todo mal contra vós. Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós - Mateus 5:11 e 12. Se é verdade que nós falhamos, não deve ser tão difícil compreender que outras pessoas venham a falhar conosco. Por vezes sem intenção e outras vezes por maldade, pessoas nos causam sofrimento.

Em Mateus 5:39, nosso Mestre nos ensina a praticar o amor ao próximo mesmo quando este nos causa dor: Não resistais ao perverso; mas a qualquer que te ferir na face direita, volta-lhe também a outra.

E em Mateus 5:44, Jesus nos ordena a praticar o amor ao inimigo: Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem.

2º - Nossa ação: Em verdade vos digo que não sairás dali, enquanto não pagares o último centavo - Mateus 5:26. Sofremos as conseqüências de nossos atos e omissões. Levar a cruz de Cristo nada tem a ver com pagar pelo que fizermos. Mesmo sendo cristãos, muitas vezes falhamos, causando dor para nós e outras pessoas. Devemos com coração humilde reconhecer onde temos falhado e, onde for possível, restituir.

3º - Iniciativa do Inimigo: E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal..Mateus 6:13.

4º - Por estarmos vivos: Não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal – Mateus 6:34. Após a expulsão de Adão e Eva do paraíso, foi-lhes assegurado que sofrer faria parte das suas vidas. Portanto, todos passamos por sofrimentos que a própria vida nos reserva. Exemplos: doenças, velhice, cansaço, viver significa estar morrendo fisicamente, etc.

5º - Por iniciativa de Deus: Entrem pela porta estreita, pois larga é a porta e amplo o caminho que leva à perdição, e são muitos os que entram por ela. Como é estreita a porta, e apertado o caminho que leva à vida! São poucos os que a encontram. Mateus 7:13-14



III. Propósitos do sofrimento

Após termos analisado as causas do sofrimento, creio ser importante avaliar os propósitos do sofrimento. Muitas vezes nos perguntamos por que certas coisas nos acontecem. Mesmo sendo válido buscarmos a origem do sofrimento, creio que Deus está muito mais interessado no propósito. Ou seja, Ele quer que tenhamos a atitude de Paulo: sabemos que todas as cousas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito – Romanos 8:28.

Tirando o sofrimento causado por nós mesmos, as demais causas do sofrimento estão em grande medida fora do nosso alcance. Nada podemos fazer para evitá-los. Não adianta nos revoltarmos, nem ignorar o fato. O mal nos acontece, por mais que nos empenhemos em fazer o bem. Portanto, creio que é necessário nos determos em como encaramos o sofrimento.

Neste sentido, há somente 2 propósitos para todo sofrimento: Deus quer a nossa salvação e o Inimigo que a nossa perdição. Em João 10:10 Jesus diz que o ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.

Pesquisa Sepal 2006: para 32 % dos divorciados e para 38 % dos separados, a separação resultou em crescimento espiritual, ao passo que para 5 % dos divorciados e para 9 % dos separados, a separação resultou em dificuldades espirituais. Ou seja, a conseqüência mais apontada na pesquisa foi de crescimento espiritual.

O sofrimento de Jó ilustra bem isto. O mesmo sofrimento de Jó é utilizado por Satanás para tentar destruí-lo e afastá-lo de Deus, e é utilizado por Deus para fazer Jó reconhecer a Deus pessoalmente. Jó era uma pessoa justa e temente a Deus. Quando sua sorte começa a mudar, ele perde suas riquezas, seus filhos, sua saúde. Sua esposa pede que ele renegue a Deus, ao passo que seus amigos somente conseguem enxergar o sofrimento como sendo causado por pecados não confessados por Jó.

Inicialmente Jó se defende perante Deus, argumentando que ele estaria sofrendo injustamente. Quando depois Deus se manifesta a Jó, este reconhece que ele só conhecia a Deus de ouvir, mas agora os meus olhos te vêem – Jó 42:5.

Sem passar por tamanho sofrimento, provavelmente Jó teria passado a sua vida inteira como um homem justo e temente a Deus, mas não teria tido o privilégio de experimentar o encontro pessoal com Ele, o qual somente é possível quando deixamos de nos preocupar com as causas do sofrimento e nos voltamos ao propósito do mesmo. Portanto,

O mesmo sofrimento pode gerar nossa salvação ou nossa perdição!

IV. Sofrendo para a nossa salvação

· Permite que sejamos consolados por Deus: Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados – Mateus 5:4

· Lembra-nos de que herdaremos o Reino de Deus: Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, por que deles é o reino dos céus – Mateus 5:10

· Evita que percamos a salvação: Se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros, e não seja todo o teu corpo lançado no inferno – Mateus 5:29

· Exercita nossa dependência de Deus: Não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal – Mateus 6:34

· Prepara-nos para as tempestades: Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica, será comparado a um homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha – Mateus 7:24-25

Hartmut August